Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Inflação medida pelo IPCA fecha 2017 em 2,95%, menor taxa em 19 anos

Pela primeira vez, desde que o regime de metas foi implantado, a taxa ficou abaixo do piso da meta fixado pelo governo, que é de 3%. O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também divulgou a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor, que atinge famílias com renda menor que cinco salários mínimos

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2017 ficou em 2,95%. É a menor em 19 anos. E, pela primeira vez, desde que o regime de metas foi implantado, a taxa ficou abaixo do piso da meta fixado pelo governo, que é de 3%.

A taxa do ano passado foi menos da metade dos 6,29% registrados em 2016 e, entre as capitais pesquisadas, a maior inflação registrada foi em Goiânia, 3,76% e a menor em Belém, 1,14%. Já em dezembro, a taxa em todo o Brasil foi de 0,44%, um avanço com relação ao mês anterior, puxado principalmente pelo aumento do grupo alimentação e bebidas.

Mas, ao longo de 2017, com a produção agrícola batendo recordes, os preços do grupo, responsável por cerca de um quarto das despesas das famílias, caíram 1,87%, sendo a única vez que essa categoria apresentou deflação no ano desde a adoção do Plano Real.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) também divulgou a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor, que atinge famílias com renda menor que cinco salários mínimos. E o acúmulo de 2,07% ao longo de 2017 foi três vezes menor do que a taxa de 6,58% medida em 2016 e a menor desde o Plano Real.



Tags:
Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg