Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Faixas de descontentamento

Moradores das ruas nas quais o desvio do trânsito do Centro foi realizado, instalam faixas como forma de protesto ao tráfego intenso de veículos pesados

2b1b1f55575afd14a25865a6b088c473.jpg Foto: Lucas Neumann/JP

Os moradores das ruas Mato Grosso, Imigrantes, Jerusalém e João Vieira de Campos ainda estão tendo transtornos com o tráfego intenso de veículos pesados na região, já que as vias servem de desvio de trânsito, em função da obra realizada na Rua Hermann Weege, próxima ao Centro Cultural de Pomerode. E, quem mora nessas ruas anda reivindicando a proibição ou a diminuição do tráfego de caminhões, ônibus e derivados. 

No domingo, moradores colocaram faixas de protesto na Rua dos Imigrantes, cobrando do poder público, medidas que possam neutralizar o fluxo de veículos pesados. Frases como “ Sr. Prefeito, queremos soluções e não promessas”, “Com certeza, certos nomes serão lembrados nas próximas eleições” e outros dizeres de insatisfação com a situação, estampam as faixas colocadas em alguns pontos da via.

Maria do Carmo, que mora há mais de 28 anos na Rua dos Imigrantes, relata algumas situações que acabam incomodando quem habita a região. A passagem desses veículos pesados acabam causando trepidações nas casas e algumas delas já apresentam rachaduras. Além disso, Maria fala da grande quantidade de poeira que acaba vindo junto com os carros e, até mesmo, com o vento, trazendo uma camada de pó para dentro das casas.

“Ontem, varri todo o meu quintal. Hoje, é notável o quanto já tem de sujeira acumulada no chão. Temos que estar sempre limpando, varrendo com frequência, pois o pó aparece com muita facilidade em nossas casas, o que acaba gerando um incômodo”, conta a moradora.

Rogério Dalpiaz, morador há mais de 25 anos da região, está se juntando com outros habitantes das ruas, para a criação de uma associação. E, juntamente com outros residentes, resolveram realizar um ato de protesto, colocando as faixas. Dalpiaz conta que já havia participado de uma reunião, no dia 20 de junho, com o prefeito Ércio Kriek, para definir soluções e medidas para melhorar a situação. Segundo o morador, metade do que foi conversado foi cumprido, mas ainda não foi o suficiente para amenizar o fato.

“Nós estamos pedindo a diminuição do tráfego de veículos pesados, que é um incômodo nas nossas ruas. Logo de madrugada, na faixa das 4h, o trânsito de caminhões já é considerado intenso, o que acaba tirando o nosso sossego. Além disso, o asfalto, em alguns pontos, já está apresentando rachaduras, buracos por conta da passagem desses veículos e quando eles passam, é possível notar a trepidação que eles causam nas casas. Portanto, ainda estamos em busca de soluções para esse problema”, desabafa Dalpiaz.

Parecer do Executivo 

A equipe do Jornal de Pomerode entrou em contato com o prefeito Ércio Kriek, que relatou estar ciente do problema e que recebe com surpresa a manifestação, uma vez que o acordo firmado em reunião, realizada no dia 20 de junho, vinha sendo cumprido. “Junto aos moradores, discutimos pontos para melhorar a situação, como a instalação de placas e redutores de velocidade. Temos, ainda, uma lombada a ser construída, que já está sendo providenciada. O que, infelizmente, não temos como efetuar é a proibição do tráfego na região. É preciso ressaltar que o projeto é bastante antigo e, agora, está sendo posto em prática.A comunidade pomerodense, como um todo, já possui conhecimento, há anos, da criação de uma via alternativa que passa por essas ruas. Lamentamos, e muito, todos os inconvenientes que as obras estão gerando à população. Estamos, inclusive, estudando novos meios para que o impacto seja o menor possível, com a criação de uma nova rua na região para desviar o tráfego. No Centro, em duas ou três semanas, as obras devem estar concluídas, mas o tráfego de veículos de pequeno porte já está liberado”, comenta.

Kriek reitera ainda que, neste mês de agosto, será iniciado um plano de mobilidade para Pomerode, que inclui projetos de outras vias, além de concessão e regularização de transporte público. “Com este plano será possível buscar recursos para melhorar e desenvolver a cidade em diversos pontos e sentidos. Um planejamento a longo prazo se faz necessário, pois o número de veículos é cada vez maior. Nosso objetivo principal é atender e pensar nos pomerodenses, com a criação de áreas de convivência à comunidade, por exemplo”.

Sobre a obra no Centro, o prefeito afirma que ainda não há definição sobre o tráfego na região, quando relacionado a cargas pesadas e, ainda, ao fechamento da via nos fins de semana. “A comunidade precisa ser ouvida e, através de reuniões, vamos ouvi-la. E, então, definiremos, juntos, o que pode ser feito na região. O objetivo, como já mencionado, é ofertar à comunidade melhores opções para convivência”, completa.

E quando o assunto é a criação de novas ruas, Kriek revela que, nas próximas semanas, deve haver a liberação da licença ambiental para o projeto que liga Pomerode Fundos ao Ribeirão Areia. “Com isso, podemos iniciar o trabalho de desapropriação e, então, com a nova via, também teremos outro mecanismo para facilitar e auxiliar no tráfego pesado na cidade”, finaliza.


 



Galeria de fotos: 3 fotos
Créditos: Raphael Carrasco/JP Raphael Carrasco/JP Raphael Carrasco/JP
Veja também:









Publicidade

  • 
    eb224b55631b8f403d168a912e1f6fb6.jpg4b580c53dad677f2141dea5ad908465d.jpg