Jornal de Pomerode

Edição Impressa



int(65222)

Ensinando a cooperar e ser solidário

Através das campanhas sociais, os alunos da E.B.M. Dr. Amadeu da Luz aprendem desde cedo, de maneira prática, a importância de se ajudar o próximo.

89f7a6544c31f2b907fe759d0d359fa1.jpg Foto: Raphael Carrasco/JP

Ensinar as crianças valores que vão muito além da matemática, das linguagens ou das ciências. Este é o objetivo da Escola Básica Municipal Dr. Amadeu da Luz, que incentiva os alunos a fazerem o bem na prática, por meio de campanhas para difundir o ato de ajudar ao próximo e pensar no futuro do planeta.

As crianças e adolescentes adotam as campanhas e levam-nas a sério. A campanha Lacre Solidário é a mais popular. Os alunos juntam lacres durante o ano e fazem as doações para a Fundação Fritz Müller, de Blumenau. Os lacres ajudam na troca de novas cadeiras de rodas, tanto que, ano passado, a escola juntou lacres suficientes para a aquisição de uma, que está à disposição da instituição escolar.

O aluno do 5º ano, Gustavo Alan Rahn, explica que gosta muito de participar da ação, pois faz bem para a natureza. “Nós vamos ajudar as pessoas que precisam das cadeiras de rodas, por isso que damos os lacres. Devemos ajudar, porque pessoas ajudam as outras pessoas”, afirma o menino.

E além da campanha de lacres, a Amadeu da Luz conta com mais seis outras ações. A do desapego, na qual alunos juntam desde roupas até brinquedos que não usam mais e encaminham para doação; a campanha do vidro, na qual as crianças separam vidro de conservas, vendem para uma empresa da região, e com o dinheiro arrecado, são adquiridos livros para a biblioteca da Escola; de uniformes, na qual os alunos doam uniformes que não servem mais; de descarte de pilhas e de óleo de cozinha usado, o que ensina os alunos a descartarem corretamente o lixo.

Outra campanha de destaque na escola é o reaproveitamento de sobras dos lápis quando apontados pelas crianças. Os alunos colocam as raspas dentro de uma caixinha e, depois, jogam nos canteiros da escola. Como são restos de madeira, as sobras funcionam como um adubo para a terra.

Isadora Reimer Dopona, do 5º ano, disse que se sente feliz em poder ajudar as pessoas que precisam, por meio das campanhas. “Eu gosto muito das campanhas, porque a gente sabe que está fazendo uma coisa muito boa e está ajudando todo o mundo, tanto na escola como em outros lugares. Ajudando, não ficamos com a consciência pesada”. 

Já a diretora da Escola, Dóris Mathias Selhorst, ressalta que as campanhas ajudam na educação das crianças e fazem com que as mesmas criem um cooperativismo com a sociedade. “As nossas crianças precisam ser educadas para o sentimento da cooperação, da solidariedade, enfim para ajudar o próximo, para perceber que o outro pode ter uma necessidade diferente da sua. Essas campanhas são importantíssimas, porque as próprias crianças já imaginam as coisas boas que podem ser feitas com o que é trazido. É uma questão, de fato, de educação”, reitera.

 



Galeria de fotos: 5 fotos
Créditos: Raphael Carrasco/JP Divulgação Divulgação Divulgação Divulgação
Tags:
Veja também:









Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg