Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Encontro para preservar a cultura

Encontro Internacional de Bandoneon reuniu tocadores de diferentes idades e locais bastante distintos

5c6d9604ed7a08448dcf1d269a43b381.jpg Foto: Isadora Brehmer/JP

Uma das atrações mais especiais da programação da 36ª Festa Pomerana foi o Encontro Internacional de Bandoneon, realizado no sábado, 19 de janeiro, no Pavilhão Cultural da Festa. Neste ano, o evento se tornou internacional devido à vinda de um grupo alemão, que, além de tocar Bandoneon, tem uma fábrica do instrumento.

Os músicos são da cidade de Einbenstock, e fazem parte do grupo Bandonionverein Carlsfeld, que conta com integrantes de todas as idades. Eles chegaram ao Brasil na quarta-feira, dia 16, e aproveitaram dois dias para conhecer os principais pontos turísticos de Pomerode.

Na sexta-feira, dia 18, visitaram o Museu Pomerano. Na oportunidade, também tocaram em frente ao local, e quem passava em frente ao Museu, teve a oportunidade de conferir um belo show.

Acompanhando a comitiva da banda, estava também o prefeito de Einbenstock, Uwe Staabe, que concedeu uma entrevista à nossa equipe. Ele disse que se encontrou com o prefeito de Pomerode, Ércio Kriek, e afirmou estar encantado com a nossa cidade.

“É uma cidade muito, muito bonita e fico admirado que, estando no sul do Brasil, me sinto dentro da Alemanha”, disse.

Também na comitiva, estava o responsável pela fabricação do Bandoneon na cidade e integrante do grupo Bandonionverein Carlsfeld, Robert Walscheguer, que explicou como é o processo de fabricação do instrumento. 

“Construímos, hoje, um Bandoneon completo. O processo começa pela escolha da madeira, do modelo, toda a parte de cor e papelão. Depois, vem a fabricação dos botões, em madrepérola e, por fim, fazemos o acabamento do instrumento. Hoje, um Bandoneon como este, leva em média de 180 a 200 horas de trabalho manual”, relata.

Walscheguer também afirma estar muito contente por ter sido convidado para participar de um encontro de Bandoneon aqui no Brasil. “Mas, principalmente, estou contente por poder ajudar a resgatar a nossa cultura e a de vocês também. Estamos hospedados em casas de famílias e todos estão sendo muito receptivos”, ressaltou.

O grupo alemão teve a oportunidade, ainda, de vivenciar um pouco mais de perto as maneiras encontradas pelos pomerodenses de preservar sua cultura. No sábado e no domingo, dias 19 e 20 de janeiro, eles participaram dos desfiles típicos programados na Festa Pomerana, junto aos outros tocadores de Bandoneon, mas com duas alegorias especialmente preparadas para eles.

O Encontro 

Durante toda a tarde de sábado, dia 19, tocadores de Bandoneon de todo o Brasil, e da Alemanha, como já mencionado, se reuniram no Pavilhão Cultural da Festa Pomerana para trocar experiências e, claro, para encantar o público com sua música.

A primeira apresentação foi a do grupo alemão Bandonionverein Carlsfeld, já que eram a principal atração do Encontro deste ano. Além desta, foram cerca de 20 outras apresentações, de diversos grupos participantes, bem como apresentações individuais, de tocadores de diferentes gerações. Esta troca de experiências, com certeza, ficará marcada na memória de todos.



Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg