Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Em prol da preservação do patrimônio da imigração

Projeto Requalificação do Patrimônio Cultural da Imigração em Pomerode é lançado, com a assinatura oficial do termo de compromisso. Houve apresentação de integrantes de grupos folclóricos, da Banda Municipal e o Hino de Pomerode foi cantado pelo coral PommerSänger

ca90793652d157f2ee756cd5ed609ce9.jpg Foto: Isadora Brehmer/JP

Conhecida como a cidade mais alemã do Brasil, Pomerode abriga o maior conjunto de edificações enxaimel fora da Europa. A preservação deste acervo arquitetônico será o objetivo do Projeto Requalificação do Patrimônio Cultural da Imigração em Pomerode. O projeto é fruto de uma parceria entre o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a Prefeitura Municipal de Pomerode e a Universidade Regional de Blumenau (Furb). A ideia é fazer o levantamento do estado de conservação dos imóveis protegidos da cidade, a fim de identificar as necessidades de restauração dos bens culturais.

O projeto foi lançado na sexta-feira, dia 05 de outubro, no Tetro Municipal de Pomerode. A presidente do Iphan, Kátia Bogéa, esteve presente, além do diretor do Departamento de Projetos Especiais do Iphan, Robson de Almeida; do diretor do Departamento de Patrimônio Imaterial do Iphan, Hermano Queirós; da superintendente do Iphan em Santa Catarina, Liliane Nizzola; do prefeito de Pomerode, Ércio Kriek; do reitor da Furb, João Natel Pollonio Machado; e do representante do Ministério do Turismo, José Gayoso.

Houve apresentação de integrantes de grupos folclóricos, da Banda Municipal e o Hino de Pomerode foi cantado pelo coral PommerSänger. Após a solenidade de abertura, o projeto foi apresentado.

Durante a solenidade, foi assinado o Termo de Cooperação entre as instituições parceiras, que garante a participação de todos, em várias etapas, como por exemplo, na captação de recursos e no gerenciamento do conjunto histórico. Foi firmado, também, um acordo entre Iphan, Ministério do Turismo, Prefeitura e Governo do Estado, para a promoção de atividades relacionadas à preservação do Patrimônio Cultural da imigração no estado. A cerimônia de lançamento também foi acompanhada por inúmeros donos de casas enxaimel de Pomerode, que foram lembrados pelo prefeito, durante seu discurso.

Pomerode possui 11 imóveis tombados pelo Iphan, além do Conjunto Rural de Testo Alto, e outras 221 construções protegidas, em nível municipal e estadual. A manutenção do acervo será desenvolvida em quatro etapas pelo Projeto. A primeira é o cadastramento fotográfico dos imóveis e o levantamento das atividades tradicionais da cidade. Depois, será feito o diagnóstico do estado de conservação dos bens e a identificação da necessidade de obras de restauração. A terceira etapa é a elaboração do orçamento dos restauros necessários e, por fim, a criação de mapas temáticos, que vai estabelecer prioridades e estratégias de ações para preservação. 

A presidente do Iphan destacou a importância do patrimônio de Pomerode para a cultura nacional. “Essa paisagem, essa arquitetura enxaimel, foi reconhecida como um patrimônio brasileiro. E o que fizemos aqui foi juntar esforços, Prefeitura, Governo do Estado, universidade, Iphan e, principalmente, os detentores desse patrimônio, que é a comunidade, para que possamos fazer um projeto integrado, de cadastrar, fazer um levantamento de todas as construções enxaimel”, disse.

O prefeito de Pomerode destacou que o projeto trabalhará, também, em parceria com a comunidade. “O objetivo é, em conjunto com os proprietários de casas enxaimel, primeiro fazermos um levantamento, vermos qual a real situação de cada casa, o quanto precisaremos de investimento, para depois, também com o auxílio do Iphan, buscar recursos para que estas casas possam ser restauradas, e nós possamos, cada vez mais, manter esse grande patrimônio aqui em Pomerode”, ressaltou Kriek.

A importância do projeto, ainda, fica evidente ao percebermos que o patrimônio dos imigrantes enfrenta sérios desafios na atualidade. Registra-se o desaparecimento de vários dos exemplares arquitetônicos e dos conjuntos urbanos e rurais mais importantes, colocando todo esse contexto cultural em séria condição de risco. A situação exige uma ação rápida e enérgica por parte das autoridades e dos técnicos envolvidos com a preservação do patrimônio cultural. Embora diversas obras de manutenção e restauração tenham sido realizadas nos últimos tempos, essas ações, praticadas principalmente pelo Iphan e por alguns municípios, não puderam garantir a sobrevivência integral desse enorme patrimônio – único e insubstituível. Há evidente necessidade de uma postura nacional de preservação, conservação e restauração do patrimônio dos imigrantes, competentemente partilhada entre o Iphan, estado de Santa Catarina e municípios envolvidos.

O desenvolvimento do projeto será, portanto, por meio das etapas citadas e terá o auxílio de alunos da Furb, com a supervisão dos professores do curso de Arquitetura e Urbanismo e técnicos do Iphan. Eles vão elaborar os projetos de restauro e fazer um levantamento das atividades tradicionais da região. Com a conclusão do projeto, será possível uma melhor exploração do conjunto preservado, tanto em relação ao fortalecimento da cultura, quanto ao desenvolvimento da prática do turismo no município.

O reitor da Furb falou sobre a importância da parceria da universidade com a Prefeitura, não só neste, como em outros projetos, e o diferencial do projeto de requalificação. “A Furb reforça o seu caráter regional, pois está em Pomerode já com diversos projetos, como um que temos muito orgulho, que é o Vida e Saúde. Mas este é especial, porque envolve a cultura alemã na questão do enxaimel. A Furb tem, no seu departamento de arquitetura, uma expertise e um interesse muito grande. Essa união da academia, junto ao Iphan e à Prefeitura de Pomerode, revitalizando a questão do enxaimel, é algo muito gratificante para a nossa universidade”, ressaltou o reitor.

A secretária de Turismo e Cultura de Pomerode, Gladys Sievert, ressaltou a importância do projeto para que seja possível viabilizar a restauração. “Eu acho que isso é começo da realização de um sonho, de uma expectativa de todos os pomerodenses. Nós buscamos, realmente, conseguir recursos do nosso patrimônio, desse tesouro que nós temos aqui na cidade, que são as nossas casas enxaimel”, destacou.

 



Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos: Isadora Brehmer/JP
Veja também:









Publicidade

  • 
    eb224b55631b8f403d168a912e1f6fb6.jpg4b580c53dad677f2141dea5ad908465d.jpg