Jornal de Pomerode


Em prol da causa animal

Nesta sexta-feira, 11 de agosto, às 18h, será realizada uma audiência pública, na Câmara de Vereadores, para tratar de políticas públicas em relação à causa animal. Estarão presentes na reunião representantes do Poder Público, da comunidade e da Proteção Animal.

100f2f5315f10a1e4367db61f5e818f1.jpg Foto: Jornal de Pomerode

Nesta sexta-feira, 11 de agosto, às 18h, será realizada uma audiência pública, na Câmara de Vereadores, para tratar de políticas públicas em relação à causa animal. Estarão presentes na reunião representantes do Poder Público, da comunidade e da Proteção Animal. A audiência será aberta à população e o legislativo convida a todos para participar. 

Segundo o presidente da Câmara, Rafael Pfeutzenreiter, a presença da comunidade é fundamental para que o interesse público, com relação a esta questão, seja escutado. “Seja qual for o animal de estimação, a posse responsável deve ser prioridade. Devemos ter em mente que os bichanos têm, em média, 10 ou mais anos de vida e este é um comprometimento em longo prazo. Embora ter um animal seja algo que traz felicidade, tanto para o bichano como para o dono, é uma decisão que requer muitíssima responsabilidade, já que por se tratar de um ser vivo, devemos oferecer não somente todos os cuidados correspondentes, mas também ser um exemplo a ser seguido, sendo que a pessoa deve tratá-lo de forma respeitosa e digna. A Câmara analisará as sugestões propostas, juntamente com o Jurídico da Casa”, reitera. 

A discussão em torno do tema já iniciou na última sexta-feira, dia 02, quando os vereadores Rafael Pfeutzenreiter, Marcos Dallmann e Cleide Kamchen se reuniram com representantes de uma ONG de proteção animal. Durante a reunião, o principal assunto tratado foi com relação à criação de um centro de saúde animal da cidade. 

A bióloga Neuranei Salete Bonfiglio, da ONG Instituto Bem Animal, que esteve presente na reunião, esclareceu que a intenção é fazer com que o abrigo atual seja transformado em um centro de saúde animal. O poder público municipal seria responsável pelo local e material cirúrgico, e o Instituto Bem Animal, se a parceria fosse firmada, disponibilizaria profissionais para a realização de castrações e atendimentos veterinários. 

Neuranei destacou a necessidade de algumas ações pelo Executivo Municipal. “Para atingir um resultado satisfatório, excelente, ações periódicas devem ocorrer, tais como, a conscientização da comunidade, investimentos cirúrgicos, o inventário animal e a realização de seminários e debates”, frisou.



Tags:
Veja também:
Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos: Jornal de Pomerode









Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg