Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Em defesa da criança e do adolescente

Em consonância com a data 18 de maio, o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) promoveu na última quarta-feira, dia 15 maio, uma palestra de Ação Preventiva contra Exploração e Violência Sexual a Crianças e Adolescentes, destinada às famílias atendidas

9cd0bdafe8454c220220e28d012d2e19.jpg Foto: Divulgação / PMP

O dia 18 de maio é lembrado, nacionalmente, como o Dia de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Na data, são promovidas, em todo país, ações para conscientizar a população e autoridades sobre as consequências da violência sexual na vida de meninos e meninas.

Em consonância com a data, o Centro de Referência de Assistência Social (Cras) promoveu na última quarta-feira, dia 15 maio, uma palestra de Ação Preventiva contra Exploração e Violência Sexual a Crianças e Adolescentes, destinada às famílias atendidas.

53 pessoas participaram da palestra, que teve como objetivo trazer a reflexão sobre o tema, explicar quais as formas de exploração e violência sexual contra criança e adolescente, como prevenir que estes casos aconteçam e como denunciar. 

A palestra foi ministrada pela equipe do Cras, que falou sobre as orientações e cuidados para evitar que as crianças entrem para as estatísticas de abuso e exploração sexual de menores.

“A palestra foi voltada também aos cuidados que devem ser tomados nas redes sociais, locais em que, devido ao anonimato, também podem ser um meio para este crime. Ainda, foi conversado com as crianças sobre a importância de elas contarem caso estejam sofrendo algum abuso, para que sejam tomadas as providências necessárias”, destacam Paola Nishimura coordenadora e Amarildo da Silva educador social, ambos do Cras. Ao final da explanação, os participantes puderam sanar possíveis dúvidas sobre o assunto.

O 18 de maio

A data foi escohida como dia de mobilização contra a violência sexual porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados, foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. 

A proposta do “18 de Maio” é destacar a data para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos sexuais de crianças e adolescentes. É preciso garantir a toda criança e adolescente o direito ao desenvolvimento de sua sexualidade, de forma segura e protegida, livres do abuso e da exploração sexual.

Com o slogan “Faça Bonito - Proteja nossas crianças e adolescentes”, a ação utiliza, desde 2009, como símbolo, uma flor, como uma lembrança dos desenhos da infância, além de associar a fragilidade de uma flor com a de uma criança. O desenho também tem como objetivo proporcionar maior proximidade e identificação junto à sociedade, proximidade e identificação com a causa.



Veja também:









Publicidade

  • 
    c95504f84082f77f2778b5c685b97548.jpg