Jornal de Pomerode


Dive divulga novo boletim a respeito da dengue, chikungunya e zika

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC) divulgou o boletim n° 13/2017 sobre a situação da vigilância entomológica do Aedes aegypti e a situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus, com dados até a Semana Epidemiológica n° 24.

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica de Santa Catarina (Dive/SC) divulgou o boletim n° 13/2017 sobre a situação da vigilância entomológica do Aedes aegypti e a situação epidemiológica da dengue, febre de chikungunya e zika vírus, com dados até a Semana Epidemiológica n° 24, de 1º de janeiro a 17 de junho de 2017.

No período, foram identificados 7.659 focos do mosquito Aedes aegypti, em 135 municípios. Em 2016, no mesmo intervalo, haviam sido identificados 6.018 focos em 129 municípios. O número de focos de 2017 é 21% maior quando comparado ao mesmo período do ano de 2016.

Atualmente, existem 59 municípios considerados infestados pelo mosquito Aedes aegypti em Santa Catarina. A definição de infestação é realizada de acordo com a disseminação e manutenção dos focos.

Dengue 

No período de 1º de janeiro a 17 de junho de 2017, foram notificados 1.689 casos de dengue em Santa Catarina. Desses, seis (1%) foram confirmados (todos pelo critério laboratorial), 103 (6%) estão inconclusivos (classificação utilizada no Sinan nos casos em que após 60 dias da data de notificação, ainda estiverem sem encerramento da investigação), 1.496 (88%) foram descartados por apresentarem resultado negativo para dengue e 84 (5%) casos suspeitos estão em investigação pelos municípios. Do total de casos confirmados até o momento, dois são autóctones, com transmissão dentro de Santa Catarina, três são importados (transmissão fora do estado) e um permanece em investigação de LPI. 

Febre de chikungunya 

No período de 1º de janeiro a 17 de junho de 2017, foram notificados 220 casos de febre de chikungunya em Santa Catarina. Desses, 163 (74%) foram descartados e 41 (19%) permanecem como suspeitos. Até o momento, 16 casos foram confirmados (importados), com residência nos municípios de Balneário Camboriú, Benedito Novo, Blumenau, Canoinhas, Chapecó, Florianópolis, Itajaí, Joinville, Mafra, São José e Turvo, com local provável de infecção nos estados de Ceará, Minas Gerais, Maranhão, Pará, Mato Grosso, Bahia e Espírito Santo.

Zika vírus 

No período de 1º de janeiro a 17 de junho de 2017, foram notificados 54 casos de febre do zika vírus em Santa Catarina, sendo que 40 casos (74%) foram descartados, sete (13%) permanecem em investigação e seis (11%) estão inconclusivos. Até o momento, um caso importado foi confirmado (transmissão fora do estado), com residência no município de Florianópolis.



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg