Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Defesa notifica à Justiça que Pizzolatti está internado

Defesa do ex-deputado federal notificou à justiça que Pizzolatti está internado. Ele segue com o mandado de prisão em aberto, em virtude do acidente que aconteceu na SC-421, em Blumenau

6c74b60d4b3c1fc6cbe010bfc5a7d8ff.jpeg Foto: Divulgação

Um documento pedindo revogação da prisão preventiva foi protocolado pela defesa do ex-deputado federal João Pizzolatti, nesta sexta-feira, 17 de maio, após o mandado ter sido expedido, na semana passada. Segundo o texto, assinado pelo escritório Miguel Saliba Advogados Associados, de Brasília, o ex-deputado está internado no Instituto São José – Centro de Psiquiatria e Dependência Química, na Grande Florianópolis.

De acordo como documento, os advogados afirmam que o ex-deputado é dependente de álcool reabilitado, mas “após a decretação da prisão preventiva, o Peticionário por estar sob grande pressão psicológica, teve uma recaída, retornando ao consumo de bebidas alcoólicas reiteradamente. Assim, tendo em vista a extrema debilidade do acusado por conta da dependência e do risco de o Peticionário intentar contra sua própria vida, o mesmo, por ordem de sua família, foi internado em uma clínica psiquiátrica para tratar sua dependência e depressão, sendo imprescindível o constante acompanhamento médico.”

A prisão foi decretada porque Pizzolatti descumpriu a ordem judicial de não dirigir. No dia 29 de abril, porém, ele foi flagrado dirigindo o carro da esposa, em Rio dos Cedros. Por meio da defesa, feita pelo advogado Fernando Henrique Becker, o ex-deputado afirmou que conduzia o carro momentaneamente enquanto a esposa cuidava da filha de um ano, que estava chorando.

Um dos advogados de Pizzolati já renunciou a defesa do ex-deputado e não irá mais auxiliar no processo.

 O acidente

Pizzolatti dirigia uma Volvo/XC60, na rodovia SC-421, que liga Pomerode a Blumenau. Naquele dia, o ex-deputado apresentava sinais de embriaguez, de acordo com a Polícia Militar Rodoviária. Com isso, acabou perdendo o controle do veículo, vindo a atingir um Fiat/Mobi, conduzido por Paulo Marcel Santos, que tinha na época 23 anos. Com o forte impacto, o Mobi acabou pegando fogo e o homem acabou sendo resgatado por populares, porém teve ferimentos graves e queimaduras.

O ex-deputado foi acusado pelo Ministério Público de tentativa de homicídio, por ter assumido o risco de cometer um possível acidente, em função da embriaguez.



Veja também:









Publicidade

  • 
    c95504f84082f77f2778b5c685b97548.jpg