Jornal de Pomerode


Caso de mensagem de ódio no Vale

Na segunda-feira, 25 de setembro, pela manhã, um caso de mensagem de ódio chamou a atenção da comunidade de Blumenau e região nas redes sociais. O advogado Marco Antônio André, morador da cidade, logo pela manhã, se deparou com um cartaz colado na porta de casa.

cb31fd7536c655baf932d32bc9ba35c5.jpg Foto: Divulgação

Blumenau - Na segunda-feira, 25 de setembro, pela manhã, um caso de mensagem de ódio chamou a atenção da comunidade de Blumenau e região nas redes sociais. O advogado Marco Antônio André, morador da cidade, logo pela manhã, se deparou com um cartaz colado na porta de casa e outro em um poste da rua onde vive, no bairro Ponta Aguda. Os cartazes, com símbolos de um grupo supremacista norte-americano, faziam uma ameaça por ele ser negro e praticante do candomblé.

Diante da situação, ele publicou um desabafo nas redes sociais, que viralizou na segunda-feira e, na terça-feira pela manhã já contava com mais de 1,4 mil compartilhamentos.

Milhares de pessoas manifestaram seu repúdio à atitude, ou ainda, preocupação com o aumento do discurso de ódio, principalmente em nossa região.

Para o advogado, além de descobrir quem são os autores da mensagem, o caso deveria servir como exemplo para que situações como esta não se repitam em Blumenau. Ele diz que foi aconselhado inclusive a não desfilar na Oktoberfest para evitar provocações, mas que não vê motivos para se esconder.

“Eu ficaria muito mais feliz se isso tudo servisse como um alerta. Ninguém é mais do que ninguém. Há desigualdades e eu vivo isso por ser negro, mas nem por isso, a gente precisa parar de viver em sociedade. A gente tem que ser maior do que isso e eu realmente espero que quem quer que tenha feito isso não tenha a dimensão do que isso pode ser. Ou que se tem a dimensão, ela entenda que está completamente fora do contexto dos nossos dias atuais”, exclama. 



Tags:
Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg