Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Casa da Solidariedade busca subvenção junto à Prefeitura

Ficou acordado, em janeiro deste ano, que a Prefeitura faria um repasse à instituição, mediante apresentação de documentação informando sobre os serviços da entidade.

cf1f3841bcbc6061d46e7d4e41cd28ca.jpeg Foto: Divulgação

Na semana passada, a diretoria da Casa da Solidariedade esteve reunida com a Mesa Diretora da Câmara de Vereadores para questionar a burocracia existente na Prefeitura, a não liberação da subvenção para a Entidade e o porquê de não receber a justificava da não liberação de recurso solicitado.

O diretor da instituição, Marcos Antônio Marques Godoy, explicou aos vereadores sobre a rotina e as atividades desenvolvidas na Casa, além de citar a dívida deixada pela gestão anterior, de cerca de R$ 180 mil. Destes, R$ 90 mil já foram pagos à Receita Federal, mas mesmo assim, sobra pouco para investir na entidade e o repasse seria de suma importância para a manutenção das atividades com os dependentes químicos e alcóolicos.

Godoy informou que aguarda o retorno do Executivo em relação ao comodato da Casa e sobre o projeto de subvenção pleiteado no mês de janeiro deste ano. A finalidade é garantir a continuidade das atividades terapêuticas junto aos internos, destinatários do trabalho social.

Em contato com a Prefeitura, ele foi informado de que a entidade não estaria apta a receber subvenções atualmente. “O administrador da Casa foi instruído sobre as documentações que precisam ser providenciadas para que seja possível o repasse. Porém, no início do ano, em reunião com o Executivo, foi renovado o contrato de sessão de uso do imóvel onde a Casa está instalada, atualmente. Mediante a aprovação de todos os documentos, a discussão junto ao Conselho Antidrogas, a comprovação da real necessidade do Município de vagas na instituição e que se cumpram os requisitos necessários para que se atrele os objetivos da Casa à Secretaria de Saúde ou à Secretaria de Desenvolvimento Social, o repasse poderá ser efetivado”, informou a Assessoria de Imprensa da Prefeitura.

“Nós montamos o plano de trabalho como foi solicitado, informando o que estávamos pedindo e o que iríamos oferecer para a Prefeitura, em questão de serviços, sendo cinco vagas com internação gratuita para indicações vindas do serviço público de saúde. Nosso plano de trabalho foi encaminhado para ser protocolado, mas quando fomos conversar com o Poder Público para perguntar sobre como estava a situação, soubemos que a Prefeitura ainda não havia recebido a documentação”, explicou Godoy.

Hoje, o local possui dois médicos, três enfermeiras, uma psicóloga, além de voluntários. Conta com 24 pessoas internadas e a capacidade é para 35 usuários. 

A Casa da Solidariedade tem como objetivo recuperar física, espiritual e psiquicamente os alcoólicos, usuários de drogas e demais dependentes químicos, bem como, subsidiar apoio à família, viabilizando a reconciliação do residente. Os objetivos serão alcançados mediante aconselhamento, assistência médica, psicológica e religiosa, respeitando as convicções e preferências dos internos. O trabalho de recuperação e a internação destinam-se a todas as pessoas que desejam tratamento, obedecendo cada faixa etária e limitação física. Os acolhidos cooperam com a organização dos quartos, limpeza do pátio e tarefas do dia a dia.

 



Tags:
Veja também:









Publicidade

  • 
    eb224b55631b8f403d168a912e1f6fb6.jpg4b580c53dad677f2141dea5ad908465d.jpg