Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Brasil volta a ter saldo positivo na geração de empregos com carteira assinada em 2018

Este também é o melhor resultado, para um ano fechado, desde 2013, quando foram abertas 1.138.562 vagas de emprego com carteira assinada. O Brasil fechou o ano passado com um “estoque” de 38,39 milhões de empregos formais existentes

fd2e0a667c05bedb421d6d557aae2fd9.jpg Foto: Divulgação

De acordo com dados do Cadastro Nacional de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quarta-feira, 23, a economia brasileira voltou a gerar empregos com carteira assinada em 2018, após três anos seguidos de demissões. No ano passado, ao todo, foram abertas 529.554 vagas formais. O número representa a diferença entre as contratações (15.384.283) e as demissões (14.854.729) feitas em 2018.

Este também é o melhor resultado, para um ano fechado, desde 2013, quando foram abertas 1.138.562 vagas de emprego com carteira assinada.

O Brasil fechou o ano passado com um “estoque” de 38,39 milhões de empregos formais existentes. Em 2017, este mesmo saldo de empregos formais estava em 37,86 milhões de vagas. O resultado é o melhor registrado desde 2015, quando 39,20 milhões de pessoas ocupavam empregos com carteira assinada.

Ano de 2018 por setores

De acordo com os números do governo, sete dos oito setores da economia abriram vagas no ano passado. O setor de serviços foi o que mais abriu vagas, e a administração pública foi o único setor que demitiu trabalhadores.

Veja abaixo os resultados:

Construção civil: 17.957 postos

Indústria de transformação: 2.610 empregos

Indústria extrativa mineral: 1.473 postos formais

Serviços industriais de utilidade pública: 7.849 vagas

Administração pública: -4.190 empregos

Comércio: 102.007 vagas formais

Agropecuária: 3.245 vagas

Serviços: 398.603 empregos



Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg