Jornal de Pomerode


Brasil já reconheceu 8.863 refugiados de 79 nacionalidades

De acordo com relatório divulgado hoje (10) pelo Comitê Nacional para Refugiados (Conare) do Ministério da Justiça (MJ), nos últimos cinco anos as solicitações de refúgio no Brasil cresceram 2.868%.

O Brasil j&aacute; contabiliza 8.863 refugiados de 79 nacionalidades. De acordo com relat&oacute;rio divulgado hoje (10) pelo Comit&ecirc; Nacional para Refugiados (Conare) do Minist&eacute;rio da Justi&ccedil;a (MJ), nos &uacute;ltimos cinco anos as solicita&ccedil;&otilde;es de ref&uacute;gio no Brasil cresceram 2.868%, passando dos 966 casos registrados em 2010, para 28.670 em 2015.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Segundo o MJ, mais de 80 mil solicita&ccedil;&otilde;es de refugiados j&aacute; foram feitas no Brasil. A absoluta maioria (64.941) &eacute; de pedidos feitos por homens, o que corresponde a 80,8% do total. As faixas et&aacute;rias que mais solicitaram ref&uacute;gio no pa&iacute;s s&atilde;o as que se encontram economicamente ativas. Foram 40.369 solicita&ccedil;&otilde;es (48,7% do total) na faixa compreendida entre 18 e 29 anos; e 39.081 solicita&ccedil;&otilde;es na faixa entre 30 e 59 anos (47,1% do total). As solicita&ccedil;&otilde;es foram feitas principalmente por haitianos, senegaleses, s&iacute;rios, bengaleses [de Bangladesh] e nigerianos.</p> <p>&nbsp;</p> <p>O ministro da Justi&ccedil;a, Eug&ecirc;nio Arag&atilde;o, disse que se o Brasil deseja se tornar um dos protagonistas do planeta, precisa dar sequ&ecirc;ncia &agrave;s iniciativas de receber refugiados. Segundo ele, o relat&oacute;rio apresentado hoje (10) apresenta "a posi&ccedil;&atilde;o em que estamos deixando o minist&eacute;rio".</p> <p>&nbsp;</p> <p>Entre 2010 e 2016, houve aumento de 127% no total de refugiados reconhecidos no Brasil. "Esperamos que [essa tend&ecirc;ncia] seja mantida como uma pol&iacute;tica de Estado, de abertura do Brasil aos refugiados do mundo. Esperamos que se d&ecirc; continuidade. Se o Brasil quiser protagonismo em quest&otilde;es estrat&eacute;gicas, precisa dar sua contribui&ccedil;&atilde;o para o combate a esse problema. Por isso, em meio a essa que &eacute; a pior crise humanit&aacute;ria dos &uacute;ltimos anos, temos adotado essa postura de mostrar disposi&ccedil;&atilde;o em receber refugiados", acrescentou o ministro.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Segundo o relat&oacute;rio, o maior n&uacute;mero de reconhecimento de refugiados foi de s&iacute;rios, que j&aacute; somam 2.298 refugiados reconhecidos no Brasil. Em segundo lugar est&atilde;o os angolanos, com 1.420 reconhecimentos, seguidos de colombianos (1.100), congoleses (968) e palestinos (376). A lideran&ccedil;a da S&iacute;ria nesse ranking se deve &agrave; guerra que j&aacute; levou praticamente 5 milh&otilde;es de habitantes daquele pa&iacute;s a buscar ref&uacute;gio em outras regi&otilde;es do mundo.</p> <p>&nbsp;</p> <p>Em uma base de dados que vai de 2010 a 2015, o ano de 2014 foi o que registrou o maior n&uacute;mero de julgamentos de processos envolvendo pedidos de ref&uacute;gio. Naquele ano, 2.414 processos foram decididos, n&uacute;mero que &eacute; praticamente o dobro do ano anterior (1.293 em 2013). Em 2015, 1.667 processos foram julgados.</p> <p>&nbsp;</p> <p>O relat&oacute;rio mostra uma redu&ccedil;&atilde;o bastante sens&iacute;vel do total de solicita&ccedil;&otilde;es pendentes, que ca&iacute;ram das 48.217 em 2014 para 25.222 em 2015. Este boom, segundo o MJ, se deve &agrave; regulariza&ccedil;&atilde;o migrat&oacute;ria de haitianos no Brasil.</p> <p>&nbsp;</p> <p><em>Fonte: Ag&ecirc;ncia Brasil</em></p>


Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • b24e1f3813003e2cb3b72b7c37281d09.jpg