Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Aumento nas vendas para o Dia das Crianças

Há expectativa de crescimento de até 10% nas vendas, segundo 66,66% dos entrevistados. A consulta foi realizada junto às empresas associadas com atuação no varejo nas 20 cidades catarinenses de maior índice de potencial de consumo

a212479b9e1ecaa544ddd194c8ab8952.jpg Foto: Synésio Batista

As vendas no varejo, para o Dia das Crianças, devem ser levemente maiores em 2018, em Santa Catarina. Isso é que o que aponta um levantamento da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Santa Catarina (FCDL/SC). De acordo com os dados, 86,66% dos lojistas creem que haverá resultados positivos quando comparado com o mesmo período do ano anterior.

Há expectativa de crescimento de até 10% na avaliação de 66,66% dos entrevistados. Entre os itens que acreditam serem os mais procurados, os brinquedos aparecem com 30,67% da preferência, seguido do vestuário, com 23,33%. Na opinião de 59,3%, o tíquete médio alcançará R$ 150.

Na avaliação do presidente da FCDL/SC, Ivan Roberto Tauffer, essa projeção positiva se deve, principalmente, em grande parte, ao ciclo de corte de juros iniciado pelo Banco Central e ao controle da inflação, que permanece dentro da meta. Outro fator determinante é a retomada do ritmo de consumo das famílias.

A consulta foi realizada junto às empresas associadas com atuação no varejo nas 20 cidades catarinenses de maior índice de potencial de consumo.

Pomerode tem boa expectativa 

Segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas de Pomerode (CDL), a expectativa para as vendas relacionadas ao Dia das Crianças, na cidade, são positivas e os resultados devem ser melhores, se comparados aos dois anos anteriores.

O presidente da CDL de Pomerode, Félix Valentini, destaca que o Dia das Crianças sempre representa um incremento nas vendas do comércio pomerodense. “Esta é a terceira data mais importante para o comércio, em termos de vendas de presentes, atrás apenas de Natal e Dia das Mães. Neste ano, estimamos que cada família deva gastar cerca de R$ 135 com o presente, o que é positivo. Isso se deve a dois fatores: queda no número de pessoas desempregadas e na taxa de inadimplência”, explica Valentini.

O resultado deve ser positivo também porque, de acordo com a CDL, já houve, durante o ano, uma constância nas vendas. Os itens de destaque para a data são os presentes, calçados e confecções.

Já no Brasil, apesar da lenta retomada da economia refletir no ânimo dos brasileiros, a maioria dos consumidores (72%) deve ir às compras este ano no Dia das Crianças - em especial as mulheres (77%). É o que revela pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em todas as capitais. No ano passado, 67% compraram presentes na data. Para 2018, a expectativa é de que o varejo movimente cerca de R$ 9,4 bilhões.

Diante de um cenário com alto índice de desemprego e renda achatada, os gastos do consumidor também prometem ser ponderados. De acordo com o levantamento, 39% dos entrevistados que presentearão, principalmente filhos, sobrinhos, netos ou afilhados, pretendem gastar o mesmo valor que o ano assado, enquanto 24% planejam comprar menos. No total, cada consumidor deve desembolsar, em média, R$ 187 com presentes.



Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg