Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Atenção à Febre Amarela

Foco será a população que reside nas áreas rurais da cidade

3d86a76a275c57a5f01bd8c78af59a12.jpg Foto: Luciana Carneiro

O mês de setembro, como já mencionado em edições anteriores do Jornal de Pomerode, na área da saúde, será voltado à imunização contra a Febre Amarela, nas áreas rurais do município. A atenção maior à vacinação contra esta doença é uma solicitação da Secretaria de Estado da Saúde.

Diante disso, a Vigilância Epidemiológica está trabalhando para atender à solicitação, fazendo o mapeamento das áreas onde há moradores que devem tomar a vacina. De acordo com os dados levantados pelo setor, 3.028 pessoas precisam ser imunizadas contra a Febre Amarela e está indicada a dose única para pessoas de nove meses e de 59 anos de idade.

A indicação de necessidade de vacinação é para as pessoas que residem em áreas consideradas rurais na cidade e, para saber onde é preciso fazer a convocação para imunização, a epidemiologia entrou em contato com a Secretaria de Planejamento para saber qual a área rural de Pomerode, a fim de definir qual a parcela da população a ser vacinada em cada ESF. Os bairros com maior volume de pessoas, que precisam receber a vacina, são Pomerode Fundos, Ribeirão Clara, Testo Alto e Wunderwald.

A gerente da Vigilância Epidemiológica de Pomerode, Jaqueline Gustmann, reforça que, para que a ação obtenha sucesso, o trabalho dos agentes comunitários será fundamental. “Os agentes comunitários têm papel fundamental nesta intensificação, eles estão realizando as visitas nos domicílios e orientando esta população para procurarem a unidade de saúde mais próxima para serem imunizados”, disse.

E para intensificar ainda mais esse trabalho, será realizado, em 15 de setembro, o dia “D” de vacinação contra a Febre Amarela. Todas as unidades estarão abertas para realizar a vacinação, entre 8h e 16h, sem fechar para o almoço, exceto as unidades Rosita Zimmer, no Ribeirão Areia, e Ricardo Jung, no Centro. Caso algum usuário destas duas unidades quiser se imunizar no sábado, poderá procurar outra unidade mais próxima para receber a vacina.

Atualmente, o vírus da Febre Amarela está presente no Vale do Ribeira, sul de São Paulo, e vem se deslocando no sentido leste-sul do país. Neste sentido, por esta rota ser a mais provável, a população dos municípios das Regiões de Saúde Nordeste, Foz do Rio Itajaí e Médio Vale do Itajaí, supostamente, é a que possui maior risco de exposição. Torna-se ainda mais preocupante pelo fato destes municípios estarem inseridos em um ecossistema de Mata Atlântica. Com isso, os primeiros que podem vir a adoecer são os moradores da área rural.

A campanha de intensificação da vacina contra a Febre Amarela ocorre até o dia 30 de setembro e a gerente da Vigilância Epidemiológica chama a atenção para a importância de a população se imunizar. “Que todos se sensibilizem com a importância de se vacinar contra a Febre Amarela, e aqueles que foram orientados a se imunizar, que procurem a unidade de saúde mais próxima para receber sua vacina. Lembrando, também, que sábado, dia 15, a maioria das unidades estará atendendo, sendo mais uma opção para aqueles que têm dificuldade de ir no ‘postinho’ no durante a semana”, reforça. 

A Febre Amarela 

É uma doença infecciosa febril aguda, causada por um arbrovírus (vírus transmitido por artrópodes), que pode levar à morte em cerca de uma semana se não for tratada rapidamente. Os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus, e os macacos são os principais hospedeiros; nessa situação, os casos humanos ocorrem quando uma pessoa não vacinada é picada por um mosquito contaminado.

Os sintomas iniciais incluem: febre de início súbito, calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver: febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos.

Não há nenhum tratamento específico contra a doença. O médico deve tratar os sintomas, como dores no corpo e na cabeça, com analgésicos e antitérmicos. Salicilatos devem ser evitados (AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. Somente um médico é capaz de diagnosticar e tratar corretamente a doença.



Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg