Jornal de Pomerode


Às portas do mercado

Prestes a ingressar no mercado de trabalho, adolescente conta como está a preparação e a ansiedade para esta nova etapa da vida

91c1f9f949c4421581eb005ab56c9aca.jpg Foto: Isadora Brehmer

Paralelo à felicidade de conseguir ingressar no mercado de trabalho, estão as pessoas que batalham e se preparam arduamente para, quando surgir a primeira oportunidade, conseguir agarrá-la com todas as forças e aproveitá-la da melhor maneira possível. 
Este é o caso do adolescente Luan Noremberg Shoji, de 17 anos, que está “às portas” do mundo do trabalho, se preparando e esperando a sua chance se começar a fazer parte dele. Como completa 18 anos ainda em 2017, ele espera conseguir um emprego ainda neste ano, mas revela que a expectativa e ansiedade é grande.
Experiência, o jovem já tem, pois participou do programa Menor Aprendiz, em uma empresa de Pomerode, e conseguiu já fazer um estágio como auxiliar administrativo. Ele destaca a experiência na Delegacia, pois ali teve que aprender a lidar com pessoas e suas emoções, sempre procurando atendê-las da maneira mais educada possível, algo que amadurece o ser humano. 
“Fazer as coisas na prática, ter a experiência é o que me faz aprender, então sempre fui atrás disso. Porém, como Menor Aprendiz, não tive muita chance de lidar diretamente com máquinas na empresa, por isso, acho que essa experiência agregou somente na questão de saber como é o ambiente. Mas a questão de lidar com a pressão de ter que cumprir tarefas e ser cobrado por isso, eu aprendi muito na Delegacia”, relata o adolescente. 
Shoji é aluno do curso técnico de mecânica no Senai e também destaca a importância dele na hora de fazer uma entrevista de emprego e ter a certeza de poder garantir que já possui experiência prática e que poderá cumprir as tarefas da melhor maneira possível. Mas, admite que a área teórica, ligada ao cálculo, também o fascina. 
“Gosto muito da área de cálculo, mas fiz o curso técnico para poder ter a experiência prática já, e depois, em uma faculdade me focar na parte teórica. O curso técnico me possibilitou um contato direto com as máquinas, para compreender na prática seu funcionamento, o que é muito importante. Até reconheço que a minha opção pelo foco inicial na parte teórica, foi recente”, ressalta Shoji. 
Por ter esse fascínio pela área teórica de cálculo, o adolescente espera conseguir ingressar, em 2018, na faculdade de Engenharia Mecânica, onde poderá se focar na questão teórica, já que a prática veio com o curso do Senai. 
Ele afirma que ficará satisfeito com qualquer vaga que conseguir na área de produção, mas admite que gostaria muito de poder logo atuar na área de projetos, um setor que lhe interessa muito. Conta, ainda, que possui um sonho, e que pretende realizá-lo um dia: fazer a faculdade de astronomia, assunto que desperta profundamente a sua curiosidade. 
Deixando o lado sonhador um pouco de lado, Shoji revela ter uma visão um tanto crítica da situação atual do mercado de trabalho. “Eu acho que as empresas priorizam um pouco demais abrir vagas nos setores de projetos e planejamento e que faltam algumas oportunidades para trabalhadores que sejam bons ou prefiram trabalhar de uma maneira prática, lidando com máquinas e coisas assim. Acho que isso poderia mudar. Mas acredito que o mercado está crescendo, sim”, pondera.
O estudante afirma que se sente preparado para ingressar em um emprego, mas que a ansiedade aparece com frequência, porque, mesmo tendo experiências parecidas anteriores, o mercado de trabalho em si é completamente diferente. A ansiedade é tamanha que ele já se preparou com toda a documentação necessária para agarrar a oportunidade com todas as forças quando ela surgir. “Se conseguir na área de cálculo, ficarei muito feliz, mas ficarei satisfeito em começar em qualquer setor que envolva a mecânica. Estou ansioso pela entrada, sim”, finaliza o jovem.



Veja também:









Mais vistos

Publicidade

  • b24e1f3813003e2cb3b72b7c37281d09.jpg