Jornal de Pomerode


Anos de muita gratidão

Completando 45 anos de profissão, Jenuário José Lenzi relata experiências adquiridas ao longo destes anos de vocação na cidade. Natural de Rio dos Cedros, atualmente, com 65 anos, mora em uma casa no centro de Pomerode.

bd7dfb497ed2d52f67f9036838f0f192.jpg Foto: Matheus Martins/JP

Em 1972, Jenuário José Lenzi chegava em Pomerode. Com a experiência em mãos, adquirida durante anos de aprendizado, abriu uma barbearia no centro da cidade. No mês de outubro deste ano, completou 45 anos de profissão e emociona-se ao relembrar do apoio que recebeu de amigos, clientes e família ao longo deste tempo de companheirismo e gratidão. 

Natural de Rio dos Cedros, atualmente, com 65 anos, mora em uma casa no centro de Pomerode com sua esposa Vitória Mara Stein Lenzi, 65 anos, local que construiu com seu esforço e dedicação. Começou a trabalhar cedo, aos 11 anos, quando ajudava seu pai, que trabalhava como tropeiro. Após alguns anos, por uma fatalidade, acabou se mudando para Timbó, onde o pai decidiu que ele iria aprender a cortar cabelo. “Na época, ou você virava alfaiate ou colono, não havia tantas possibilidades como hoje. Surgiu a oportunidade de aprender e aceitei. Comecei afiando navalhas e observando, acabei gostando e estou no ramo até hoje”, conta Lenzi. 

Inicialmente, tentou abrir uma barbearia em Timbó, porém as chances estavam em outro lugar. Após adquirir mais conhecimento em Curitiba, abriu o estabelecimento no centro de Pomerode, conquistando os primeiros equipamentos com a ajuda de seu pai. Ao chegar na cidade, teve um pouco de dificuldade na comunicação. “Eu sabia muito pouco do alemão, somente entendia o que os outros diziam, mas não sabia me expressar, não conseguia falar. Foi questão de tempo e esforço até aprender o idioma e hoje falo fluentemente”, afirma. Outra dificuldade que enfrentou foi o fato de ser de outro município, mas logo conquistou o carinho da população e, com o incentivo de amigos, resolveu se firmar na cidade para ficar. 

A amizade e afeição por parte dos pomerodenses foi tanta, que durante um período realizou atendimento em hospitais e casa de conhecidos. “Quando alguém ficava doente, me ligavam avisando que viriam me buscar para eu cortar o cabelo do cliente”, explica. Ainda Segundo Lenzi, grandes amizades foram formadas em meio ao ramo profissional, as quais ele sempre prezou por ajudar e ensinar. Um de seus clientes é Vilmar Leitholdt, morador do bairro Testo Alto, que faz questão de vir até o centro cortar o cabelo. “O atendimento e o corte são de qualidade, tudo é feito com carinho”, afirma o cliente. 

Mudou-se de sua primeira barbearia para outro local, no ano de 1995. Mesmo com o endereço um pouco diferente, e próximo ao primeiro, os clientes permaneceram fiéis e o acompanhando. “Nunca cheguei em casa e reclamei de não ter tido um cliente. Acontece às vezes de ter demais, mas nunca passei um dia sem cortar o cabelo de alguém”, exclama. 

Casado com sua companheira há 29 anos, Lenzi ressalta a importância da grande Vitória que tem ao seu lado, com quem tem dois filhos: Naiara Lucia Stein Lenzi, de 27 anos, e Rafael Stein Lenzi, de 26. O pai ainda se orgulha pelos filhos estarem encaminhados em seus segmentos profissionais e terem suas vidas formadas com caráter e integridade. 

Para o futuro, com o encorajamento da família, pretende continuar aprendendo e não tem planos de parar de trabalhar em sua vocação. “Nesses tantos anos existem altos e baixos, perdi amigos e clientes de até 40 anos, porém, enquanto a saúde me permitir, eu vou continuar. Com toda a convicção, enquanto puder, eu estarei lá cortando o cabelo”, afirma. 



Veja também:
Galeria de fotos: 2 fotos









Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg