Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Amor incondicional pela profissão

Caminhoneiro de Pomerode atua há mais de 15 anos e considera a profissão como uma de suas paixões

5a32e07cc056ec1f4d1fddf441660c2c.jpg Foto: Raphael Carrasco/JP

Paixão pela profissão. No fim de semana em que se comemorou o Dia do Caminhoneiro, no último dia 30 de junho, nada mais justo do que homenagear essa classe que movimenta as ruas e rodovias de nosso país. 

Aqui em Pomerode, segundo o Detran de Santa Catarina, mais de 685 caminhões estão emplacados. E, para ver como é o cotidiano de quem usa o caminhão como o seu instrumento de profissão, nossa equipe acompanhou a rotina de Valdir Neumann, que está trabalhando atrás de um volante há mais de 15 anos. Conhecido, carinhosamente, como Jamanta ou Valdiran, Neumann entrega materiais de construção pela empresa pomerodense Joca. 

Apaixonado pela direção desde criança, Neumann iniciou a sua vida de motorista trabalhando em uma empresa de transporte coletivo de ônibus, em Jaraguá do Sul. Mas, com o decorrer do tempo, ser motorista de ônibus não era sua preferência e decidiu seguir sua carreira como caminhoneiro. Desde então, o motorista percebeu o seu amor pela profissão e hoje, aos 41 anos, continua fazendo o que mais gosta.

E para conferir a jornada de trabalho do caminhoneiro, pegamos uma carona junto com ele, para acompanhar uma manhã de entregas feitas, em Pomerode.

Nossa viagem começa no Joca, localizado no Centro. O primeiro destino é o bairro Wunderwald, para a entrega de uma caixa d’água. Ao chegar ao local, o motorista descarrega sozinho, necessitando de uma pequena ajuda para retirar a caixa d’água do caminhão e levá-la até o local desejado pelo cliente.

Feita a entrega no primeiro local, saímos em direção ao Ribeirão Areia, em um trajeto de pouco mais de 10 km. Agora, serão entregues pisos e porcelanatos para uma casa na Rua Guilherme Gustmann. Da mesma forma como no primeiro destino, Neumann descarrega o seu caminhão sozinho, indo e voltando para buscar o produto e deixá-lo no local pedido pelo cliente.

Segundo o caminhoneiro, trabalhar com o que mais gosta de fazer é um privilégio.

“O que me motiva é o bom exemplo do meu patrão e de todos meus companheiros de trabalho. Quando você trabalha feliz, todos ao seu redor ficam alegres e isso é um bom motivo para seguir o dia e continuar a trabalhar com algo feito com extrema paixão”.

Há mais de 10 anos no Joca, Neumann já ganhou total confiança do patrão, Jorge Odwazny. O veículo pode até ser considerado como uma das suas propriedades, uma vez que o mesmo já foi até personalizado com luzes de Led embaixo das portas e acessórios no interior do caminhão, dando  sua personalidade ao veículo.
Paixão que não se mede, segundo Neumann, que continua realizando suas entregas sempre com um sorriso no rosto.

 



Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos: Raphael Carrasco/JP
Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg