Jornal de Pomerode


Acampamento de lobinhos

Com o tema “Sítio do Pica Pau Amarelo”, a Alcateia Lobos Guerreiros participou de um acampamento, entre os dias 26 e 27 de agosto. O evento ocorreu no sítio do Sr. Elmo Hornburg e Sra. Ilse Koglin Hornburg, em Pomerode Fundos.

091bfb1d78f18011313d69b10877e295.jpg Foto: Divulgação

Com o tema “Sítio do Pica Pau Amarelo”, a Alcateia Lobos Guerreiros participou de um acampamento, entre os dias 26 e 27 de agosto. O evento ocorreu no sítio do Sr. Elmo Hornburg e Sra. Ilse Koglin Hornburg, em Pomerode Fundos.

Segundo o Grupo Escoteiro Pomerano (GEP), a atividade tem como objetivo principal o entrosamento do jovem por meio da experiência de acampar ao ar livre, sem a presença dos pais. “Todo acampamento possui um tema e, neste caso, a escolha do tema Sítio do Pica Pau Amarelo, de Monteiro Lobato, promoveu o resgate da cultura brasileira, que embora esta seja das décadas de 20 a 40, traz consigo uma mescla de realidade e fantasia, extremamente importantes para o desenvolvimento do jovem”, revela Ane-Mery Pisetta, integrante do grupo.

Ainda segundo Ane, os acampamentos proporcionam oportunidade de vida em equipe, de forma intensa, o que implica em respeito aos demais e em responsabilidades, tanto por sua higiene pessoal e pertences, como de alimentar-se corretamente e nas horas certas, e, também, comportar-se de acordo com as leis as quais aceitou ao ingressar no movimento. “No clima do acampamento, os escoteiros jogam, cantam, dançam, dramatizam e brincam. De forma planejada, estas e outras atividades escoteiras levam o jovem a desenvolver, gradualmente, competências em todos os campos, sendo eles físico, intelectual, social, afetivo, caráter e espiritual. Aprendem fazendo, sociabilizam-se, superam-se e alegram-se com seus feitos”, completa.

O GEP agradece, imensamente, aos proprietários do sítio por sua hospitalidade e carinho, ao abrirem as portas do seu lar para que as crianças pudessem vivenciar momentos inesquecíveis. Agradecimento especial, também, aos pais que ajudam na segurança, na limpeza e no preparo dos alimentos. Sem estas pessoas, o evento não teria sido o sucesso que foi.

Os lobinhos 

O ramo Lobo envolve jovens na faixa dos seis e meio a 11 anos, os quais desenvolvem atividades dentro do contexto de um conto de Rudyard Kipling, que é a história de Mowgli, o Menino Lobo, menino que foi criado pelos lobos. 

Com este fundo de cena, trabalham-se todas as áreas importantes para o desenvolvimento do jovem: Físico, Intelectual, Social, Afetivo, Caráter e Espiritual. 

Este trabalho envolve as mesmas áreas de conhecimento programadas na educação formal para a cada faixa etária. É um complemento ao ensino, o qual segue um planejamento específico baseado na aplicação do método escoteiro (metodologia por projetos): Aceitação da Lei e Promessa; Aprender Fazendo; Vida em equipe;

Atividades progressivas, atraentes e variadas; Atividades ao ar livre; Desenvolvimento pessoal com orientação individual.

De forma lúdica, o jovem vai construindo seu conhecimento e, sem perceber, aprende muitas coisas. Assim, vai adquirindo e desenvolvendo o que é chamado de CHA: Conhecimentos, Habilidades e Atitudes.

Para isto, conta com uma equipe motivada de voluntários os quais incorporam os personagens da “Jângal”, que é a floresta onde ocorre a história de Mowgli. Os jovens que, a partir da Promessa são denominados Lobos, convivem com estes personagens, sendo eles os mais conhecidos o Velho Lobo Chefe da Alcateia (Akelá), o Urso (Baloo), a Pantera (Bagueera), a Serpente (Kaa), Mãe Loba (Raksha), Elefante (Hatchi), o Mangusto (Riki Tiki Tavi), a Foca (Kotick), o Milhano (Chill) e vários outros. 
Os chefes são capacitados, de acordo com um programa de formação de adultos, de modo a dar-lhes subsídios para que acompanhem os jovens em seu aprendizado. 

Os jovens desempenham suas atividades em grupo, denominado Alcateia, subdividido em seções denominadas Matilhas, onde aprendem a trabalhar em equipe e a comportar-se de acordo com as normas e Leis da Jângal. 

Assim, como uma grande família de lobos (Alcateia), todos ajudam-se mutuamente, com o intuito de atingirem os objetivos previstos no programa, para os quais recebem pequenas, mas importantes condecorações, sob a forma de distintivos. 

As atividades ao ar livre englobam excursões, jornadas e acampamentos. E no clima destas reuniões cantam, dançam, jogam e ouvem os Velhos Lobos em seus ensinamentos.



Tags:
Veja também:
Galeria de fotos: 9 fotos









Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg