Jornal de Pomerode


Moradores se queixam a respeito da falta de vagas nas creches de Pomerode

O assunto “vagas nas creches do município” tem gerado inúmeras discussões em redes sociais e no dia a dia. Moradores se queixam a respeito da falta de vagas, dificultando a situação da família quando os pais precisam retornar ao trabalho e gerando descontentamento.

9f74711e655d073c480e30e51273d661.jpg Foto: Arquivo JP

O assunto “vagas nas creches do município” tem gerado inúmeras discussões em redes sociais e no dia a dia. Moradores se queixam a respeito da falta de vagas, dificultando a situação da família quando os pais precisam retornar ao trabalho e gerando descontentamento. 

A Educação Infantil de Pomerode possui, hoje, 1532 crianças, de zero a cinco anos, matriculadas nas 11 unidades que são centros de educação infantil. Porém, matrículas de novos alunos são feitas no decorrer do ano, sempre que alguma vaga estiver em aberto. No primeiro semestre de 2017, foram criadas 60 novas vagas na educação infantil de Pomerode, principalmente para crianças com até três anos.

Com isso, até o mês de julho deste ano, havia 76 crianças na fila de espera para uma vaga em creche. Porém, com o recesso escolar, muitas famílias entraram com o pedido de solicitação de vaga, pois se mudaram para Pomerode neste período. Com isso, o número de crianças na fila de espera subiu para 132, sendo que a maioria, 99, aguarda uma vaga na Creche I, 29 esperam para ingressar na Creche II, e quatro na Creche III. 

“A lista de espera é única. Os pais que cadastram seus filhos em algum CEI têm acesso ao sistema para acompanhar a lista de espera. Estamos em processo de mudança de sistema, a fim de que a lista esteja disponível para acesso a todos que tiverem interesse em acompanhá-la. E, existem dois critérios que são levados em conta para a classificação na lista: uma criança de família que recebe o Bolsa Família e duas crianças provenientes de famílias que possuem menos renda per capita”, explica a secretária de Educação e Formação Empreendedora, Neuzi Schotten. 

No grupo referente à renda per capita, são consideradas as crianças de famílias onde os pais ou responsáveis trabalham. Quando apenas um dos pais ou nenhum deles trabalha, a criança tem direito de frequentar a Educação Infantil, no período de quatro horas diárias. 

Para as crianças que possuem quatro ou cinco anos de idade, existem vagas em aberto na Pré Escola. Para este grupo está em vigor a Lei 12.796, de 04 de abril de 2013, que torna obrigatória a matrícula da criança que possuir esta idade.  

Neuzi ressalta que a Secretaria de Educação e Formação Empreendedora está trabalhando para mudar esta realidade e tentar resolver este problema. “Estão sendo construídos dois Centros de Educação Infantil, um em Testo Central e outro na localidade de Ribeirão Areia. A Secretaria também está realizando estudos, a fim de verificar a possibilidade de atender as crianças da pré-escola (4 e 5 anos) nas Unidades Escolares, a exemplo do que vem ocorrendo em outros municípios”, coloca. 

Caso os estudos mostrem viabilidade para que isto ocorra, haverá um grande número de vagas para crianças de zero a três anos nos Centros de Educação Infantil.



Tags:
Veja também:
Galeria de fotos: 2 fotos









Mais vistos

Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg