Jornal de Pomerode

Edição Impressa



A importância do aleitamento materno

Enfermeira dá dicas para as mães que querem ter sucesso no aleitamento. Confira como manter a vida saudável de seu bebê e também a sua saúde

8f011f9b629d038702dca55a3c5b61a0.jpg Foto: Divulgação

“Amamentação é a base da vida” é o tema da Semana Mundial de Aleitamento Materno, que ocorre de 1 a 7 de agosto. A campanha visa incentivar a amamentação materna exclusiva até os seis meses de vida, contribuindo para o desenvolvimento e proteção da criança, além de uma série de benefícios para as mães e os bebês.

Conforme recomenda o Ministério da Saúde, o aleitamento materno deve se dar até os dois anos de idade, e, nos seis primeiros meses, deve ocorrer de modo exclusivo, ou seja, não há necessidade de complementar a nutrição do bebê com sucos, chás, água e outros alimentos. O leite materno é um alimento completo, rico em anticorpos que protegem a criança de muitas doenças.

O leite materno protege os bebês contra diarreias, infecções respiratórias e alergias; diminui o risco de hipertensão, colesterol alto e diabetes, além de reduzir a chance de desenvolver obesidade. Há evidências também de que o aleitamento materno contribui para o desenvolvimento cognitivo.

Para as mães, o aleitamento materno contribui na redução do peso após o parto, ajuda o útero a recuperar seu tamanho original, reduz risco de hemorragia e anemia após o parto, auxilia na redução do risco de diabetes e de desenvolvimento de câncer de mama e de ovário.

Dicas

Apesar de todos os benefícios, no Brasil, apenas 38,6% dos bebês se alimentam exclusivamente com o leite da mãe nos primeiros meses de vida, segundo um relatório Organização Mundial da Saúde (2017). A enfermeira responsável pelo Curso de Gestantes, Greicyellen Ferreira, da Unimed Blumenau, informa que é possível vencer as dificuldades da amamentação e dá algumas dicas importantes.

“Nos primeiros dias, a mãe irá alimentar o bebê com a primeira fase do aleitamento, o colostro, que dura em torno de três a cinco dias após o parto. Ele é rico em proteínas e células de defesa”, explica a enfermeira. Para evitar machucar o peito, é importante promover a pega correta do bebê ao seio. “Uma dica importante é levar o bebê ao peito para sugar apenas quando ele já estiver com a boquinha bem aberta; o queixo deve encostar na mama, os lábios ficam virados para fora e o nariz fica livre. Na pega correta, observe que aparece mais aréola na parte de cima da boca do que na de baixo”, descreve.

Durante toda a fase do aleitamento, é importante a mãe se manter bem hidratada e alimentada. “É bom ter sempre uma garrafinha por perto, para não se esquecer de beber bastante água”, comenta Ferreira. Também vale a pena prestar atenção aos alimentos ingeridos e se eles têm alguma relação com episódios de desconforto nos bebês, pois alguns alimentos podem potencializar a cólica, que é comum nos três primeiros meses de vida, por exemplo.

Com relação ao número de mamadas, cada bebê apresenta um ritmo próprio. Segundo Ferreira, o importante é manter o aleitamento em livre demanda. A duração da mamada também varia muito de acordo com cada criança e deve ser respeitada. Alguns bebês precisam de cinco minutos de mamadas para se sentirem saciados, enquanto outros, um pouco mais.

Curso para gestantes

Para orientar melhor as mulheres sobre o aleitamento materno e outras dicas importantes, periodicamente, a Unimed Blumenau oferece um curso gratuito para as gestantes. Profissionais obstetras, pediatras e enfermeiros orientam a respeito do que há de mais atual sobre a saúde da gestante e do bebê, explicando e respondendo dúvidas sobre cada etapa.

São três encontros consecutivos nos quais a gestante pode levar um acompanhante. A programação é exclusiva para beneficiárias da Unimed Blumenau.



Veja também:









Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg