Jornal de Pomerode

Edição Impressa



A importância da proteção contra o sol

Pediatra destaca que a exposição excessiva ao sol pode ter consequências sérias para a pele das crianças

52f288434b884cacfca7f849dced551d.jpg Foto: Divulgação

não há dúvidas de que a exposição solar moderada é benéfica e necessária, para crianças e adultos; mas a exposição excessiva é prejudicial e deve ser evitada. A pele da criança, até dois anos de idade, não está totalmente desenvolvida, ela é mais fina que a do adulto e produz menos melanina, sendo, portanto, mais vulnerável aos raios ultravioleta.
 
As principais consequências da exposição excessiva ao sol são desidratação e queimadura solar. As radiações ultravioletas A e B são as grandes responsáveis pelas queimaduras, pelo envelhecimento precoce e pelo aparecimento de câncer de pele, numa fase mais tardia da vida. Porém, tudo isso pode ser evitado com os bloqueadores solares.
 
Até os seis meses de idade não devem ser aplicados em bebês, devido ao fato de a pele ser muito imatura e fina. Isso porque existem substâncias químicas que, nesta idade, são mais absorvíveis, podendo causar efeitos sistêmicos. 
 
Portanto, evitar a superexposição e usar roupas adequadas, com fotoproteção, é o indicado nesta faixa etária, ou seja, até o sexto mês de vida.
 
Outros cuidados também podem ser tomados  para evitar as consequências negativas da exposição ao sol, em crianças com menos de seis meses. Confira:
1- Evitar a exposição solar das 10h às 16h, quando 60% da radiação ultravioleta chega à superfície terrrestre;
2- Usar vestuário adequado e chapéu de proteção. 
 
E mesmo após o sexto mês da criança, ainda é necessária muita atenção à sua saúde. É preciso:
1- Usar regularmente o fotoprotetor infantil, com FPS 30 ou mais;
2- Evitar exposição solar das 10h às 16h.
 
É importante lembrar que  a radiação UV também atinge a pele em dia nublado e embaixo do guarda sol. Areia, neve, concreto e água podem refletir mais de 85% dos raios nocivos à pele.
 
Como utilizar o protetor
 
A aplicação deve ocorrer, no mínimo, 30 minutos antes da exposição ao sol. Para permitir que os ingredientes atuem nas camadas superficiais da pele, é preciso repassar o protetor a cada duas horas, devido à transpiração e, também, se a criança entrar na água, fotoprotetores labiais devem ser aplicados frequentemente.
 
Quantidade a aplicar
 
É recomendado passar 2,5ml para face, pescoço, ombro e braço; e 5ml para perna e dorso do pé. Também recomenda-se ensinar a importância da fotoproteção para as crianças. Hábitos adequados na infância geram hábitos saudáveis para adultos.
 

Dra. Jane Carla Hasse

creme/sc: 4278

rqe 2550.

(47) 3332-0474



Veja também:









Publicidade

  • 
    eb224b55631b8f403d168a912e1f6fb6.jpg4b580c53dad677f2141dea5ad908465d.jpg