Jornal de Pomerode


Muito para comemorar: 35 anos de lutas, superações e conquistas

Atualmente, 23 profissionais atendem os cerca de 120 alunos de Pomerode, em um espaço amplo e confortável. No dia 06 de novembro, a Apae completou 35 anos de fundação. A data será comemorada no próximo sábado, dia 11 de novembro.

44470302619a874531486d8fc02cccbb.jpg Foto: Isadora Brehmer/JP

Alívio, conforto e esperança. Essas são apenas algumas palavras do vasto vocabulário de sentimentos que a Associação de Pais de Amigos dos Excepcionais (Apae) de Pomerode proporciona às famílias dos alunos atendidos pelo Centro de Atendimento Educacional Especializado. No dia 06 de novembro, a Apae completou 35 anos de fundação. A data será comemorada no próximo sábado, dia 11 de novembro, a partir das 15h, com uma pastelada e venda de cucas e pães.

Diretora da Apae há 17 anos, Riacarla Wachholz Rauh, disse que a escola tem muito para comemorar. “São 35 anos em que, ano a ano, a instituição foi crescendo, se desenvolvendo e aprimorando os serviços que presta. Fui uma das primeiras professoras a atender alunos com deficiência auditiva, em 1983, e em outubro de 2000, assumi a direção. Poucos locais no Estado têm o que nós oferecemos”, ressaltou.

E complementa abordando as dificuldades que ainda existem. “Mesmo com esse trabalho, ainda lutamos para a inclusão da pessoa com deficiência, que está muito longe de ter os resultados que desejamos, mas acho que temos saldos positivos. Não concordamos com algumas ações feitas pelos governos, mas não deixaremos de lutar para que nossos alunos sejam incluídos em espaços maiores, bem como, a transmissão do conhecimento, que também é papel da escola”, lembrou Ria.

Início 

Vendo a necessidade de atendimento as pessoas com deficiência e contando com o apoio da Prefeitura Municipal de Pomerode, lançou-se a ideia da fundação de uma Apae em nosso município. A Prefeitura realizou um trabalho de cadastramento das pessoas com deficiência e, em seguida, estudado um meio de atendimento.

Em seguida, conforme as condições apresentadas, alguns alunos foram matriculados na Apae de Blumenau, para onde eram levados diariamente em condução cedida pela Prefeitura Municipal de Pomerode. Vencida esta etapa, graças ao esforço de pais de pessoas com deficiência, Governo Municipal, Conselho Regional das Apae’s do Médio Vale, Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE) e o apoio da Apae de Blumenau, foi concretizada a fundação da Apae de Pomerode, no dia 06 de novembro de 1982. 

A partir do ano de 1983, os alunos passaram a ser atendidos em nosso município, em salas cedidas pela Paróquia São Ludgero. Em 12 de abril de 1986, foi inaugurada a sede própria, na qual passou a funcionar a Escola Especial Criança Esperança, na época, nomeada assim.

Desde a fundação, a Apae tem a satisfação de poder contar com o apoio da comunidade, de empresas e do poder público, para oferecer o melhor atendimento às pessoas com deficiência, afirmando a credibilidade e reconhecimento social do movimento. Os princípios de esforços múltiplos, como a crença no valor ético da honestidade e da responsabilidade social, são refletidos diante da contribuição que a sociedade desempenha. 

A Associação em Pomerode é situada na rua Alberto Spredemann, 200, no bairro Ribeirão Areia. Os telefones para contato são 3387-1666 e 3387-0652.

Primeira Apae brasileira 

A iniciativa de congregar pais de pessoas com deficiência e outras, interessadas em apoiá-los, ocorreu no Rio de Janeiro, por iniciativa de uma mãe de criança com Síndrome de Down, Beatrice Bemis, membro do corpo diplomático norte-americano. 

Tendo participado da fundação de mais de 250 Associações de Pais de Pessoas com Deficiência(s) nos Estados Unidos, Beatrice admirava-se por não existir, no Brasil, nenhum trabalho dessa natureza. No dia 11 de dezembro de 1954, foi fundada a primeira Apae do Brasil, em sessão realizada na Associação Brasileira de Imprensa, na cidade do Rio de Janeiro. 



Tags:
Veja também:
Galeria de fotos: 2 fotos









Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg