Jornal de Pomerode

Edição Impressa



30 dias de mandato

Gilson Marques Vieira, deputado federal de Santa Catarina, fala sobre o primeiro mês de trabalho em Brasília. Vieira era um dos 512 novos parlamentares que assumiram o posto, no dia 01 de fevereiro.

4e0ceb2af842f3914ee8fcdd17be48e6.jpg Foto: Divulgação/NOVO

No dia 01 de fevereiro deste ano, os deputados federais eleitos em cada estado, foram empossados na Câmara dos Deputados, dando o início ao primeiro ano de legislatura. Gilson Marques Vieira, (NOVO), representante de Pomerode e de todo o Vale do Itajaí, era um dos 512 novos parlamentares que assumiram o posto, naquela data. 

E, em entrevista ao Jornal de Pomerode, Marques relata os primeiros 30 dias de mandato na capital federal e apresenta um balanço de seu primeiro mês como deputado federal.

JORNAL DE POMERODE – Gilson, qual análise você faz deste primeiro mês, em Brasília?

GILSON MARQUES – Economizamos bastante e diminuí a verba pública. Como disse sempre em minha campanha, renunciei aos auxílios moradia, paletó e viagens. Sempre paguei aluguel em minha vida, então, não vejo porque não usar meus recursos para me manter por aqui. Por cima, posso dizer que, com isso, economizamos R$ 3 milhões, sendo um pequeno alívio aos cofres públicos.

JP – Você chegou a propor algum projeto de lei ou emenda parlamentar, nesses trinta dias?

GM – Sim. A minha bancada ficou com o setor da fiscalização da verba federal, ou seja, ficaremos ligados na distribuição de verbas públicas para os municípios e ficar sempre atento para onde este dinheiro está sendo destinado. Propus um projeto de lei pedindo que seja abolido o fundo eleitoral e a devolução do fundo partidário, sempre visando a economia de verbas, para que as mesmas possam ser usadas em segurança, saúde, educação e outros. O contribuinte é obrigado a pagar isso, ao mesmo tempo que não há dinheiro para comprar remédio e tem pessoas morrendo na fila de hospitais. Na visão do NOVO, qualquer partido pode existir, desde que seja autossustentável.

JP – O deputado está participando de uma frente parlamentar contra corrupção.  Que tipo de reuniões vocês tiveram?

GM – Tivemos encontros com o Ministro da Justiça, Sérgio Moro, para conversarmos sobre o projeto anticrime. Mais reuniões como estas ainda serão difundidas para debatermos, com mais profundidade, os assuntos, pois segurança pública é importante para o país e o nosso estado.

JP – Vocês receberam a visita do autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó. Como foi a conversa e qual o seu ponto de vista sobre a situação neste país?

GM – O caso da Venezuela é muito complicado. Percebemos a falta de democracia no país, o capital não gira em função da grave crise que o país enfrenta. Ele deixou bem claro para nós que a luta não é contra o presidente Nicolás Maduro, e sim, contra algo muito maior: tirania versus democracia.  Isso deve ser entendido por todos os países do mundo, para que possam ajudar e entender o que está acontecendo. E esta ajuda não é simplesmente humanitária, mas sim, fazer com que as pessoas entendam o que eles estão passando e como uma ideia errada pode escravizar as pessoas.

Antes de finalizar a entrevista, Marques aproveitou para fazer agradecimentos. “Quero agradecer a todos que colocaram confiança na minha pessoa. Estou disponível em minhas redes sociais. Mandem sugestões, problemas de sua cidade, que sempre vou tentar atender, da melhor maneira possível. Meu trabalho pode ser acompanhado no meu Facebook e Instagram, onde sempre atualizo informações sobre o serviço realizado em Brasília”, agradece.



Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos: Divulgação/NOVO
Tags:
Veja também:









Publicidade

  • 
    eb224b55631b8f403d168a912e1f6fb6.jpg4b580c53dad677f2141dea5ad908465d.jpg