Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Na ponta do lápis - 31/10

Alta na conta de luz

A dois meses do fim do governo Michel Temer, o Ministério de Minas e Energia decidiu propor medidas polêmicas que podem trazer custo de R$ 4,8 bilhões aos consumidores de energia e aumento de quase 3% na conta de luz, segundo a Associação Brasileira de Grandes Consumidores de Energia (Abrace).

Entre as ações propostas está o acionamento de usinas térmicas a gás, que hoje estão paradas devido ao custo fixo elevado, e a realização de um leilão para contratação de térmicas na modalidade de reserva, sob a justificativa de elevar a segurança do sistema. O governo também aprovou uma resolução que dobrou o preço da energia da usina nuclear de Angra 3, cujas obras foram interrompidas após o envolvimento de empreiteiras em denúncias de corrupção.

Pode vir diminuição do Diesel

A queda do dólar, em relação ao real e os recuos recentes na cotação do petróleo, tem feito com que o preço do óleo diesel suba em ritmo bem mais suave que o registrado no início do ano - e que levou à paralisação dos caminhoneiros, em maio. Com isso, o governo já estuda a possibilidade de adotar uma regra de transição para começar a reduzir o subsídio ao diesel, uma das soluções negociadas para o fim da greve.

Pelo acordo, o governo concede um subsídio de R$ 0,30 por litro do diesel, além de ter reduzido em R$ 0,16 os tributos Cide e PIS/Cofins incidentes sobre o produto, para garantir uma queda total de R$ 0,46 por litro no preço ao consumidor.

Para bancar o subsídio, o Ministério da Fazenda reservou um orçamento de até R$ 9,5 bilhões. Mas, com os aumentos de preços menores que o esperado, a avaliação é que o montante a ser desembolsado será bem menor. Até agora, a Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) já pagou cerca de R$ 2 bilhões, segundo técnicos do governo. E mais R$ 1,5 bilhão já está na lista para ser pago.

Redução da Dívida Pública

O estoque da dívida pública federal (DPF) caiu 0,16% em setembro, quando atingiu R$ 3,779 trilhões. Os dados foram divulgados na sexta-feira, dia 26, pelo Tesouro Nacional. Em agosto, o estoque estava em R$ 3,785 trilhões.

A correção de juros no estoque da DPF foi de R$ 20,55 bilhões em setembro. Já as emissões de papéis totalizaram R$ 57,638 bilhões, enquanto os resgates chegaram a R$ 84,365 bilhões, o que resultou em um resgate líquido de R$ 26,73 bilhões.

A DPF inclui a dívida interna e externa. A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) caiu 0,07% e fechou o mês passado em R$ 3,779 trilhões.
Já a Dívida Pública Federal externa (DPFe) ficou 2,34% menor, somando R$ 151,12 bilhões no nono mês do ano.



Publicado em 31/10/2018 - por Jornal de Pomerode

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png

Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos:







Autor deste artigo

Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg