Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Na Ponta do Lápis - 25/04

Cresce número de microempreendedores individuais em fevereiro

O número de microempreendedores individuais (MEI’s) no país cresceu 14,4% em fevereiro, na comparação com o mesmo mês do ano passado, quando foram criadas 138.187 novas empresas nesse segmento, aponta pesquisa da empresa de consultoria Serasa Experian. Das 191.498 empresas criadas em fevereiro deste ano, 82,5% são MEI, um total de 158.038. O total de novos microempreendedores individuais é o maior para fevereiro desde 2010, quando teve início a série histórica do Indicador de Nascimentos de Empresas.

Nos dois primeiros meses do ano, foram criadas 338.184 MEI’s no país, que representam 84,2% do total de 401.633 novas empresas. A representatividade desta modalidade tem sido crescente desde 2010, passando de um percentual de 46,1% do total, em fevereiro de 2010, para 82,5% neste ano.

Expectativa de crescimento menor

O mercado financeiro reduziu, pela quarta vez seguida, a projeção para o crescimento da economia este ano. De acordo com a pesquisa do Banco Central (BC), a instituições financeiras, a estimativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB), desta vez, passou de 2,76% para 2,75%. Há quatro semanas, a estimativa estava em 2,89%. Para 2019, a expectativa permanece em 3% há 12 semanas seguidas. Os dados constam do Boletim Focus, divulgado semanalmente pelo Banco Central, às segundas-feiras.

Já a estimativa para a inflação subiu, após dez semanas consecutivas de redução. A projeção para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA – a inflação oficial do país) passou de 3,48% para 3,49%. A projeção segue abaixo do centro da meta de 4,5%, mas acima do limite inferior de 3%. Para 2019, a estimativa para a inflação foi ajustada de 4,07% para 4%, abaixo do centro da meta (4,25%).

Juros menores para médias e grandes empresas

A Caixa Econômica Federal anunciou, nesta terça-feira, 24 de abril, que irá reduzir a taxa de juros de capital de giro para médias e grandes empresas. A partir de agora, a linha poderá ser contratada com juros a partir de 0,85% ao mês. A taxa anterior era de 1,367% ao mês.

Segundo o presidente da Caixa, Nelson Antônio de Souza, o banco possui R$ 11 bilhões de orçamento para a linha de capital de giro. “A redução das taxas atinge diretamente cerca de 23 mil empresas brasileiras com faturamento superior a 30 milhões por ano, responsáveis por percentual significativo do Produto Interno Bruto (PIB)”, destacou o banco, em comunicado.

As linhas de capital de giro não têm destinação específica e possibilitam o financiamento de investimento com pagamento flexível, com prazo de até 48 meses. Os recursos podem ser utilizados para pagamento de salários e fornecedores ou para readequação do endividamento.



Publicado em 27/04/2018 - por Jornal de Pomerode

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo

Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg