Terca-Feira, 20 de Agosto de 2019

facebook_icon

Hoje: Máx 15Cº / Min 10°C

Siga a gente -

Jornal de Pomerode

Edição Impressa

icon_user

Na Ponta do Lápis - 13/02

Consumo de energia elétrica deve crescer em fevereiro

Com as altas temperaturas, é normal a utilização de eletrodomésticos que amenizem a sensação de calor, dessa forma, aumentando o consumo de energia. 

Para este mês, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), a previsão é de haja um crescimento de 7% na demamanda de energia elétrica, se comparado com o mesmo período do ano passado. 

Em entrevista à Agência Brasil, Luiz Eduardo Barata, diretor-geral do ONS, o consumo deve se manter semelhante ao do primeiro mês do ano, em janeiro. “Nossa expectativa é de que, obviamente, vai haver crescimento de consumo, mas nada exagerado em relação às demandas que tivemos em janeiro, até porque é possível que as temperaturas não fiquem tão altas, em fevereiro, quanto estiveram no mês passado”, afirmou. 

Aumento no preço médio da gasolina nas refinarias 

Desde terça-feira, segundo anuncio da Petrobras, houve uma alta de 1,01% no preço médio do litro de gasolina A, sem tributo, nas refinarias, para  R$ 1,5232. 
Em contrapartida, a estatal manteve o preço do diesel em R$ 2,0005, conforme estipulado por tabela, disponível no site da empresa. 

No mês de dezembro do ano passado, a Petrobras anunciou um mecanismo de proteção complementar, em que ela pode alterar a frequência dos reajustes diários do preço do diesel no mercado interno em momento de elevada volatilidade, podendo mantê-lo estável por curtos períodos de tempo, de até sete dias. 

Tá de boas aí, inflação? 

Em nível “confortável”. Foi assim que o Comitê de Política Monetária, mais conhecido pela sigla Copom, do Banco Central avaliou, nesta terça-feira, dia 12 de janeiro, por meio da ata de sua última reunião, que a inflação se encontra

Na última reunião, os juros básicos foram mantidos estáveis, em mínima histórica de 6,5% ao ano. 

“O Copom reitera sua visão de que a continuidade do processo de reformas e ajustes necessários na economia brasileira é essencial para a queda da sua taxa de juros estrutural, cujas estimativas serão continuamente reavaliadas pelo Comitê”, alegou os representantes do Comitê, ao portal G1. 

R$ 1 trilhão e os 5 meses 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, em entrevista ao jornal  Financial Times , na segunda-feira, dia 11 de janeiro, reafirmou seu compromisso para com as projeções após reforma da Previdência, que deve ser apresentada pelo governo Bolsonaro ao Congresso. 

Segundo a entrevista, Guedes afirma que será economizado R$ 1 trilhão em 10 anos e que a medida deve ser aprovada “dentro de cinco meses”. 



Publicado em 13/02/2019 - por Jornal de Pomerode

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png

Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos:







Autor deste artigo

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg