Jornal de Pomerode


Na Ponta do Lápis - 05/07

Bandeira amarela em julho

A bandeira tarifária que será aplicada nas contas de energia em julho será amarela, o que significa um acréscimo de R$ 2 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o fator que determinou o acionamento da bandeira amarela foi o aumento do custo de geração de energia elétrica.

 

Balança comercial em alta

O Ministério da Indústria e Comércio Exterior (MDIC) informou na segunda-feira, 03 de julho, que a balança comercial registrou superávit (exportações maiores que importações) de US$ 36,21 bilhões no primeiro semestre deste ano. O resultado representa o maior superávit para este período desde o início da série histórica do MDIC (1989), ou seja, o melhor resultado para o primeiro semestre em 29 anos. Até então, o maior saldo positivo havia sido registrado no ano passado (US$ 23,65 bilhões).

 

Dólar em queda

O dólar recuou ante o real na segunda-feira, 03 de julho, chegando a operar abaixo de R$ 3,30, com certo alívio diante do cenário político doméstico e, também, com baixo volume de negócios, segundo a Reuters. O movimento de baixa, no entanto, era contido pela alta da moeda norte-americana ante divisas de países emergentes, ainda de acordo com a agência. Às 14h59min, a moeda norte-americana caía 0,45%, vendida a R$ 3,2979. 

 

Reajuste

Três dias depois de ter reduzido o preço da gasolina e do diesel nas refinarias, a Petrobras anunciou, na segunda-feira, dia 03 de julho, aumento nos preços dos dois produtos. O diesel subiu 2,7% e a gasolina, 1,8%. Os aumentos são válidos desde terça-feira, dia 04. A estatal não informou quanto o reajuste nas refinarias poderá impactar no preço final ao consumidor. Isso porque o preço nas bombas depende de outros integrantes da cadeia de combustíveis, como distribuidoras e postos.

 

Reforma tributária

A reforma tributária deverá chegar ao plenário da Câmara para votação até o começo de setembro. A previsão é do relator do projeto, deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), que chamou a proposta de “mãe de todas as reformas”. A partir de agosto, o parlamentar pretende receber contribuições sobre os projetos ligados à reforma antes de encaminhar seu relatório final.

 

Produção industrial cresce

A produção industrial brasileira fechou o mês de maio com crescimento de 0,8% frente a abril, na série livre de influências sazonais. Esta é a segunda taxa positiva consecutiva registrada pela indústria brasileira que, em abril, subiu 1,1%. Os dados foram divulgados na terça-feira, dia 04, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e dizem respeito à Pesquisa Industrial Mensal Produção Física – Brasil (PIM-PF). Com o resultado de maio, a indústria passou a acumular, nos dois últimos meses, expansão de 1,9%, eliminando a queda de 1,6% observado em março. 



Publicado em 05/07/2017 - por Jornal de Pomerode

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo


Mais vistos

Publicidade

  • b24e1f3813003e2cb3b72b7c37281d09.jpg