Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Na Ponta do Lápis - 02/05

Preço médio da gasolina sobe novamente

O preço médio do litro de gasolina, que é vendido nos postos de combustível, subiu para R$ 4,226. O valor anterior era de R$ 4,215, segundo levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). 

O diesel também subiu nas bombas, de R$ 3,427 para R$ 3,471. Já o etanol, por sua vez, voltou a cair, de R$ 2,971 para R$ 2,893. 

Gás de cozinha 

Ainda segundo a ANP, na semana passada, o preço médio do botijão de 13kg de gás de cozinha teve um reucuo, de R$ 67,01 para R$ 66,92. 

Mercado mantém projeções para a inflação e crescimento do PIB

Os economistas do mercado financeiro mantiveram inalteradas as previsões para a inflação e para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2018. Para este ano, os analistas esperam inflação de 3,49% e crescimento do PIB de 2,75%.

A previsão do relatório para a entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil, em 2018, caiu para US$ 75 bilhões. Para 2019, a estimativa dos analistas ficou estável, também em US$ 80 bilhões.

A 12h do fim do prazo, 2 milhões ainda não enviaram a declaração

Mais de dois milhões de contribuintes ainda não haviam entregado suas declarações de imposto de renda até 12h de segunda-feira, dia 30, último dia para envio da declaração. Segundo informações da Receita Federal, até a última atualização os sistemas haviam recebido 26,554 milhões de declarações. São esperadas 28,8 milhões.

Os sistemas estão recebendo, em média, 3.732 declarações por minuto, ainda de acordo com a Receita.

Contas públicas têm déficit de R$ 25,1 bilhões em março

As contas do setor público consolidado, que englobam governo federal, estados, municípios e empresas estatais, registraram déficit primário de R$ 25,135 bilhões em março, informou o Banco Central (BC), na segunda-feira, dia 30. É o pior resultado para os meses de março de toda a série histórica do BC, iniciada em 2001.

Para 2018, o setor público (governo federal, estados, municípios e estatais) está autorizado a registrar déficit (despesas maiores que receitas) de até R$ 161,3 bilhões. Esse valor também não inclui os gastos com juros da dívida.



Publicado em 04/05/2018 - por Jornal de Pomerode

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png








Autor deste artigo

Publicidade

  • 50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg