Jornal de Pomerode

Edição Impressa



Coluna do Mani - 03/11

Gargalo

É notório que o centro da cidade, em diversos horários, mais precisamente na rua XV de Novembro, sentido bairro-Centro, fica congestionado. As longas filas não são demoradas, mas irritam, principalmente, aos pomerodenses que não estão acostumados com isso. Falando com os comerciantes da região, eles sugerem que o canteiro na frente da Farmalan seja reduzido em um metro, dando, assim, mais fluxo ao tráfego. O pedido já foi feito ao executivo e à Gerência de Trânsito, que, até o momento, não se pronunciou a respeito. Atenção aí gerente responsável pelo órgão, tome uma atitude ou, pelo menos, responda ao cidadão. 

(Foto: Mani Goede) 

Emenda e remenda

É isso que está acontecendo com o belíssimo trevo, recém construído defronte à Schornstein. Toda semana os canteiros são atropelados, danificando as flores e ajardinamento, custando aos cofres públicos alguns bons reais para a reconstrução. Agora fica a pergunta: “Os motoristas que são desatentos ou as dimensões dos canteiros estão equivocadas?” O que não pode é ficar toda semana emendando e remendando.

(Foto: Mani Goede) 

Nova política?

É notório que os tradicionais partidos políticos vivem a maior crise de sua história. A fuga dos seus eleitores vem se concretizando nessas eleições e deve ser o reflexo das próximas eleições municipais, onde realmente se aflora ainda mais a disputa. Ou mudam a forma para, realmente, pensar como uma sigla partidária e façam valer suas ideologias, ou o que se vai ver é apenas seu nome da história. 

Fidelidade

Os atuais e, em breve, antigos grandes partidos colhem os frutos das disputas internas e da perpetuação de nomes sem pensar em novos, apenas para serem os donos de suas siglas. Mesmo com candidatos de seus partidos, o que se vê é que os próprios correligionários traíram os candidatos de suas siglas, um verdadeiro vexame eleitoral. Depois ficam querendo colocar defeito nos partidos emergentes como Novo, PSL, Podemos e assim por diante. Em tempo, o único que ainda esta sobrevivendo é o PT, mas que também amarga derrotas flagorosas. 

Desemprego recua 

A taxa de desemprego no Brasil caiu para 11,9% no trimestre encerrado em setembro, mas ainda atinge 12,5 milhões de brasileiros, segundo dados divulgados nesta terça-feira, 30, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Foi a sexta queda mensal seguida e trata-se da menor taxa de desemprego registrada no ano.

O contingente de desempregados é 3,7% menor que o registrado no trimestre encerrado em junho (474 mil pessoas a menos). Já na comparação com o mesmo trimestre do ano passado, quando havia 13 milhões de desempregados no país, a população desocupada caiu 3,6% (menos 469 mil pessoas).

Vagas temporárias 

De novembro de 2018 a fevereiro de 2019, devem ser criadas no comércio catarinense duas mil vagas temporárias formais, e mais 5,5 mil no setor de serviços. A estimativa é de estudo feito pela Federação do Comércio de Santa Catarina. O número é próximo ao da temporada de 2018, quando se observou a criação de 1.254 vagas no comércio e 5.303 nos serviços, segundo o Caged.

Para o presidente da Fecomércio SC, Bruno Breithaupt, neste ano, o cenário vem se desenhando mais estável e com cautela por parte dos empresários na hora de contratar. A pesquisa apontou que 71,4% dos empresários contratarão o mesmo número de trabalhadores temporários que no ano passado, e a projeção é de média de 2,92 trabalhadores por empresa.

Espero, sinceramente, que a geração de empregos possa crescer de agora em diante para a população. 



Publicado em 05/11/2018 - por Mani Goede

btn_google.png btn_twitter.png btn_facebook.png

Galeria de fotos: 1 fotos
Créditos:







Autor deste artigo

Publicidade

  • 
    50b2324f0aa1127b27ce46c6d6dd7ed4.jpg